4 de maio de 2015

A DECISÃO MAIS DIFÍCIL - SER FELIZ

Eu sempre digo que devemos escolher o caminho mais díficil.

E isso nem sempre quer dizer que seja o que exige mais esforço, suor, cansaço físico e mental...

Na realidade, acho que, muitas vezes, é até o contrário. 
É muito difícil se permitir um caminho tranquilo, diferente, ao seu modo, quando todos ao seu redor estão se matando e ralando feito loucos.

É impressionante como as pessoas ficam estressadas ao ficarem sem fazer nada... Vejo que estamos em um momento doentio da nossa geração. 

O culto ao Sacrifício está cada vez maior. É como se isso fosse necessário para legitimar um merecimento de uma vida mais equilibrada. 

Você rala muito para se sentir merecedor de se divertir muito.

É por isso que digo que muitas vezes o caminho mais difícil é justamente o do menor esforço, o da permissão, da alegria e do bem estar.

Qual é o propósito em se levar uma vida de angústia e sofrimento?

Você pode seguir um caminho que não gosta, por toda uma vida, em busca de um objetivo e, ao final, não conseguir atingí-lo.
Neste caso você perde duas vezes. Perdeu o Objetivo e, pior, perdeu a vida.

Se você seguir um caminho que gosta, por toda uma vida, e não atingir o objetivo. Você perde apenas uma vez... A vida foi aproveitada.

Pode ser que você alcance o seu objetivo em troca da sua vida de sacrifícios, daí é legal. Você o terá como uma medalha de recompensa por uma vida de sacríficio e dolorida... (???)

Na Europa, sinto que as pessoas tem uma consciência maior sobre o que querem da vida. Elas querem viver uma vida leve e equilibrada. Do início ao fim. 

Seguindo pelo caminho da diversão, do prazer e do bem-estar... com trabalho e responsabilidades, claro.

Mas o fato é que aqui ficar sem fazer nada não gera Stress... muito pelo contrário, tem até nome (e bonito por sinal)... 

Dolce far Niente!

Que nos sirva de reflexão! Você se permite?? 

Um abraço, à bientot, au revoir, auf wiedersehen, hasta luego!

Mario

Nenhum comentário:

Postar um comentário