23 de setembro de 2013

Progresso REAL X Progresso Aparente

Quando você começa a se atentar para a vida e, principalmente, para o lado mais empolgante dela, você começa a ver exemplos de aplicação em todas as coisas do seu dia a dia e mais, TUDO te traz alguma lição.

Quero escrever algumas ideias que surgiram enquanto eu velejava na semana passada(fazendo um parêntesis, sou apaixonado por barco). Este texto é o 1 de 5 em temas de coaching temáticos com vela, veleiros e afins. Afinal, como eu disse, tudo traz lições.



O nome deste texto, progresso aparente e progresso real, é uma analogia a um termo muito importante na arte (veja bem, ARTE) de velejar, o vento real e o vento aparente.

É uma analogia perfeita, na realidade.

Explicando um pouco é mais ou menos assim. Simplificando muito (perdoem-me os velejadores) Imagine-se parado segurando uma bicicleta. Você está sentindo um vento batendo em seu rosto. ESTE É O VENTO REAL.
Imagine a cena.

Agora, imagine que você está indo contrário ao vento. Ao pedalar, você tem impressão de que o vento se intensifica, porque afinal, você está indo de encontro ao vento, e ele parece muito mais rápido do que ele de fato é.

Consegue imaginar a cena? As velocidades suas e do vento se somam. E parece que você está indo muito rápido, afinal o VENTO APARENTE é muito forte.

Vamos inverter o cenário.

Agora, imagine que você pare a bicicleta novamente e vá a favor do vento. Ou seja, se você pedalar à mesma velocidade do vento, o que acontece na realidade é que você não sentirá vento algum. Ele não bate em você, e você não bate nele, ambos estão na mesma velocidade.

Ao velejar, quando você está indo “contra o vento” (na realidade em um veleiro você não consegue ir EXATAMENTE contrário ao vento, mas quase) você sente um vento muito forte, o barulho se intensifica, água espirra contra o seu rosto. A sensação é ótima, de velocidade, de rapidez, de força!
Mas o fato é que você está indo DEVAGAR. O vento APARENTE é apenas uma ilusão de velocidade.
Em contrapartida, ao ir a favor do vento, o navegar é suave, silencioso, calmo, tranquilo. É impressionante a diferença e, mais impressionante, é o fato de que você está muito, mas muito mais rápido.

É neste ponto que faço uma analogia com a vida e volto para o tema do texto.

Às vezes você está trabalhando muito, cansado, exausto, ou melhor, na famosa “correria”. E tem a idéia de um progresso distorcida, o progresso aparente.
Você faz muita coisa mas a evolução (a velocidade) é devagar e você não vê resultados.
Quando se dá conta, muito tempo se passou navegando contra o vento, fazendo barulho, tendo a impressão de muito trabalho, porém, com um crescimento pouco expressivo.

Ao passo de que quando você se posiciona diante do vento, e se preocupa mais em se alinhar com o vento, com o fluxo, você terá uma navegação suave, um PROGRESSO suave, real, silencioso, e calmo. Um crescimento que acontecerá tão rápido e silencioso que você nem perceberá ele acontecendo, porém foi rápido e a distância percorrida, imensa.

Preste atenção aos sinais. A vida é simples.
Se há barulho, resistência, “água espirrando”, balanço, rugosidade, etc... há algo estranho, talvez você esteja contra o vento, tendo a impressão de que está fazendo muito, mas com um progresso real baixo.

Busque o bem-estar, a calmaria, o silencio e se alinhar com o vento real. Este é o “famoso vento em popa” (popa é a parte de trás do barco).
Esta expressão não é à toa, desde às grandes navegações já se sabe que o vento em popa é a melhor coisa do mundo.

Porque então ir na contra-mão?

Como está o seu progresso? e a sua velocidade? Você tem parado para reparar se está na direção certa?
Não? Entao é hora! 


Te desejo navegações suaves e mares calmos.
Siga o vento! Fique atento aos sinais.
Um grande abraço.

MM

18 de setembro de 2013

Reencontro

Após algum tempo sem escrever, retorno com muita inspiração e ainda mais convicto de que o COACHING é uma ferramenta transformacional poderosíssima.

Este texto é mais longo do que o normal por ser um resumo de muitas experiências.
Tome 5 minutos para lê-lo. Tenho certeza que irá gostar.

Vamos lá, "que raio aconteceu comigo nestes últimos oito meses?"

Simples! Segui o meu próprio caminho de crescimento, autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

Cresci, seguramente, em todas as áreas da minha vida.

Li bons livros, abri boas garrafas de vinho, fui à boas festas e, claro, o mais enriquecedor para o espírito humano, coletei experiências diversas.

Dentre as mais marcantes posso destacar que “Morei” sozinho por 45 dias na Amazônia e ainda a visitei por outras 4 vezes enquanto era responsável técnico por uma obra de perfuração de poços e alguns estudos ambientais na área de hidrologia, a minha especialidade. Foi um desafio que eu escolhi – pedi – para encarar, no fundo eu sabia que só crescimento sairia de algo deste tipo.

Aprendi muito sobre o ser humano com os operários da obra, com os quais convivi diretamente do amanhecer ao anoitecer, e também com a população do pequeno município de Silves, 300 km descendo o Rio Amazonas de barco.

Completei também o processo de coaching com 5 pessoas excepcionais, que me proporcionaram a alegria de seus resultados e suas transformações pessoais, além de outros os quais o processo está em andamento.
Poder ensinar o que aprendi de forma personalizada e assistir ao desenvolvimento de cada um é maravilhoso. Aprendo mais sobre mim mesmo quando treino outras pessoas. E os aprendizados estão aqui, na ponta da língua (dos dedos no caso), prontos para serem compartilhados.

Conheci muitas pessoas novas no ano de 2013. Foi um ano de aprendizado, aprendendo com a diversidade de pensamentos, de vidas, de sonhos.
Se pararmos para olhar a vida de cada um, sem julgamento, sem emitir opiniões – opiniões daquele tipo, viciadas pela nossa própria forma de ver a vida – aprenderemos muito mais. Aprenderemos apenas pela observação (quase admiração) de outra alma humana exercendo seu papel aqui nessa vida.

Isso é transformador:
OBSERVE! Esteja atento e OBSERVE! Há muito que se aprender com a observação!

Venci alguns limites pessoais como romper a barreira dos 10 km em uma corrida de rua, barreira mais psicológica do que física. Tive experiências novas. E retomei todas as coisas que me davam prazer e inclui em minha vida vontades que sempre tive e estavam adormecidas esperando... (Esperando o que mesmo?) ESPERANDO A DECISÃO de serem vividas.

Lá vão eles, os aprendizados que já foram praticados com bons resultados e estão agora aqui, disponíveis para você.

O Primeiro, e o mais importante, por isso o destaco aqui é: FAÇA O QUE TE DÁ PRAZER.
Com todos meus clientes eu insisto, quase obrigo, que eles FAÇAM COISAS QUE DÃO PRAZER. Se você gosta de jogar bola, vá e jogue bola. Se você gosta de tocar violão, vá e toque! Se você gostar de caminhar, vá e caminhe!

Entenda que fazer o que te dá prazer é INVESTIMENTO. Inconscientemente, se não fazemos o que gostamos, nosso corpo irá cobrar. Nossa produtividade irá cair e com ele, nosso grau de alegria. Teremos a impressão que a nossa rotina ficou mais densa. Começamos a reclamar de tudo, começamos a ver defeito em tudo e todos e nada parece nos satisfazer.

DE FATO NADA IRÁ TE SATISFAZER SE VOCÊ MESMO NÃO FOR CAPAZ DE SATISFAZER A SI PRÓPRIO.

Existe muito enraizado em nossa cultura a imagem do herói, do vitorioso, do lutador, DO MÁRTIR. Aquele que sofre para alcançar um objetivo e é aplaudido por todos.
Entenda bem, é importante lutar e se esforçar, buscar a vitória e suar a camisa. Eu mesmo faço isso todos os dias. Agora o fundamental é:

NÃO SE APEGUE À LUTA. Entenda a luta como uma parte do processo, um meio, e não o final em si.
A vida não é feita para ser uma luta, a vida é feita para ser prazerosa.

OBRIGUE-SE A FAZER O QUE GOSTA, ENCONTRE TEMPO. Isto irá transformar a sua vida por completo, eu prometo!

2 – Tenha novas experiências

Novas experiências lhe dão novos elementos para construir a sua vida e encontrar não apenas soluções para seus problemas atuais, mas também mostrar que existem outros caminhos com menos problemas, mais diretos e objetivos para as suas metas.
Conheça novas pessoas, novas formas de vida e pensamento. Novas ideias irão refrescar a sua mente e também contribuem para enriquecer o seu arsenal de elementos para incrementar sua experiência de vida.

Realize uma vontade antiga. Afinal, o que te impede? Muitos de nós tem medo de serem felizes como destaquei em meu texto anterior – “Você tem medo de ser feliz?” – e isto gera um limitador de experiências de vida a partir do momento que você não se permite a alegria do momento ou de uma sensação nova.

Esta é uma característica apoiada em uma destas três possibilidades:
·         Baseada no medo, seja qualquer um que o “trave”.
·         Baseada no julgamento do que outros podem pensar/dizer/achar.
·         Baseada na Autocensura, para aqueles mais autocríticos. Esta, a mais triste.

Fazendo um paralelo, a vida dos seus sonhos é uma “nova experiência”. Sendo assim é importante que você crie o hábito de ter novas experiências, conhecer novas pessoas, visitar novos lugares, comer novos sabores, beber novas bebidas, frequentar novos lugares.
Pode ser simples. Coma em um lugar diferente ou peça um prato novo. Romper um hábito começa com uma simples quebra de estado, simplesmente desligando o automático por um minuto.

Eu tenho certeza absoluta que sua vida mudará quando você mudar os ambientes e situações que você enfrenta. Além de tudo, se colocar em novas situações é uma ótima forma de se conhecer melhor.

3 – Aceite novos desafios

Quando você se conhece melhor você é capaz de aceitar novos desafios. Desafios que irão te exigir crescimento.

Crescer é um desafio.

Quando você já aprendeu a se desafiar e sabe do que é capaz, conhece os seus pontos fortes e fracos, o novo desafio fica muito mais fácil de ser vencido e, assim, o crescimento fica mais prazeroso.
Novamente, com mais elementos você também terá mais idéias e experiência de outras pessoas para superar seus desafios. Exemplos de pessoas de sucesso também são bons para o seu crescimento. Conheça a história de vitória de outras pessoas, procure estar perto de pessoas que tenham um pensamento que se alinhe com o seu, ou melhor, que se alinhem com os pensamentos que você quer ter!

Aceitar desafios é um hábito diário.
Vencê-los também é um hábito.

É um desafio deixar de tomar aquele refrigerante não é? É um desafio não comer aquela batata frita, aquela coxinha! Imagine então sair para uma festa e não beber nada.
Veja você não precisa virar um abstêmio. É apenas se desafiar, sem motivo algum, para ver quem manda em quem. Tomar um bom vinho com os amigos é ótimo! Me convide, inclusive! A questão aqui é ver quem está no controle, a bebida ou você!

OS DESAFIOS QUE VOCÊ ESCOLHE ENCARAR moldam o seu caráter.
OS DESAFIOS QUE VOCÊ DECIDE VENCER moldam o seu destino.

Comece a se desafiar e a se vencer ainda hoje! VAI!

4 – Vença seus limites.

O gatilho é: “Nunca fiz isso antes”.
Ah não? Ótimo! Este é o sinal de que você está em um ponto limítrofe das suas habilidades.

É nesta hora que o ciclo se fecha. Você já reforçou seu espírito com momentos de alegria, ele tem um senso de justiça de que vale a pena trabalhar com você nos desafios maiores porque ele será retribuído, afinal você se dá prazer.
Mais ainda, você é amigo de você mesmo, se ama, se presenteia e se cuida!

Você também enriqueceu seu repertório de experiências, histórias de sucesso e criou o hábito de encarar a novidade! Melhor ainda, criou o hábito de enfrentar o novo com desprendimento e fé de que só o bem pode acontecer, sempre, independente do julgamento no momento, o crescimento é inevitável e ESTA É A PARTE BOA. Lições dadas pela vida não podem ser compradas com dinheiro.

Aceitou novos desafios! Rompeu suas próprias barreiras psicológicas e físicas, superou medos e enfrentou desafios todos os dias. Venceu desafios todos os dias. Cresceu diariamente!
Fez algo novo todos os dias! O quão ótimo isso pode ser? Qual é o grau de alegria de uma pessoa que se supera todos os dias? Consegue se imaginar de tal maneira? Incrível não é?

Vencer os seus limites, com este estado de espírito e condicionamento de caráter e personalidade, será inevitável. Você está pronto e preparado para não ter limites.

A partir do momento que o gatilho “nunca fiz isso antes” ou mesmo “será que consigo?” surgir você saberá o que fazer. Será a hora da ação! A hora de aplicar as lições! A hora de se mexer!

Vá em frente! Você estará preparado!

Siga estas dicas e fortaleça seu espírito e seu caráter. 
Não precisará de coragem uma vez que nada te amedrontará!

Conte comigo ao longo do caminho.

Um abraço,
Feliz por reencontrá-lo.


MM