28 de julho de 2012

A Reta Final


A Reta Final

O projeto está chegando ao fim, foram meses de preparo, anos de trabalho duro, muitas horas gastas e noites mal dormidas, dedicação intensa...
Quanto mais longo o projeto, maior a ansiedade nesta hora.

É importante estar atento a todos os detalhes.

Esta situação é tão comum que até mesmo o GMAIL já percebe quando você tenta enviar um e-mail, escreve a palavra “anexo” e esquece de anexar o arquivo.

Estes desvios, somados aos erros de gramática, frases repetidas, anotações no corpo do texto e outras coisas podem tirar a credibilidade e o brilho do seu projeto, da sua entrega. Atrapalhar a apresentação do seu produto ou do seu protótipo.

É claro, é bom esclarecer que existem também outros perigos, mais graves, e mais devastadores do que estes pequenos desvios.

Problemas como a comemoração precoce, o “cantar vitória” antes do tempo, merecem a nossa atenção.

Na verdade é um despreparo. Um problema estrutural nas crenças das pessoas.

A pessoa não está preparada para vencer e deixa escapar “sem querer” a vitória.
(E aqui entre nós, é muito difícil acreditar em “sem querer” em um universo completamente manifestado por você).

Treine-se para: ENTREGAR o que você promete.
ALCANÇAR o resultado e DEPOIS, apenas depois, COMEMORAR.

A comemoração precoce tira o foco da atividade, dispersa energia e faz com que você cometa erros simples porém fatais.

Veja estes exemplos, assista aos vídeos abaixo e reflita sobre isso.



Nada como um bom vídeo para ilustrar uma ideia.
Isto pode ter acontecido com você algumas vezes ou mesmo pessoas que você conheça. 


A Frustração é imensa, mas, como nós manifestamos nossa realidade, no inconsciente desta pessoa, era esta sensação, esta situação que ela estava buscando (acreditem, muitas pessoas se boicotam diariamente).

Eu compartilho da filosofia de que você deve fazer mais e falar menos.
Alguns dizem que se você gastar muita energia contando para todo mundo os seus planos, as coisas parecem “zicar”.
Com este pensamento em mente você supostamente deveria contar seus planos apenas para quem você confia muito.

Eu, particularmente, acho isto muito válido.

Falo isso não por acreditar que alguém possa atrapalhar seus projetos, afinal as coisas dependem mais de você do que de qualquer outra pessoa, mas principalmente por que você pode estar inconscientemente mais preocupado em
MOSTRAR QUE TEM PLANOS E SONHOS E IDÉIAS do que de fato CONCRETIZÁ-LAS.

A diferença entre estas duas coisas é a vida que você leva.




Todo mundo conhece um “gargantão”. 
Se você não conhece, pode ser que você seja ele! Cuidado!

A boa notícia é que pra mudar basta fechar o bico e fazer mais.


Concentre-se, concentre suas energias no objetivo. Vá até o final!!!

É muito difícil, eu sei, mas é uma atitude transformadora...

Torço para sua vitória.
Um forte abraço,
MM

24 de julho de 2012

Quando me amei de verdade

Estou de férias, e quando eu venho para este lugar maravilhoso eu sempre me permito receber novas lições, eu fico atento à todos os que passam no meu caminho, à tudo que falam, fazem, pensam... tudo o que vejo, leio, escuto...

Sempre que tiro férias e venho para a casa de minha mãe é assim. Saio transformado e decidido. É a hora em que decido as coisas mais importantes da minha vida, faço planos e crio uma nova realidade.

Este blog nasceu de uma dessas viagens. 

Li hoje um texto, veio em uma boa hora, em um bom momento e pode ser ótimo para você ou para as pessoas que você convive.

Nós, ao mudarmos, mudamos todos os que estão ao nosso redor, portanto, melhore todo dia um pouquinho.

espero que aproveite e leve-o em seu coração pela vida.

Um abraço,
MM

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!
Charles Chaplin